Procon inicia Mutirão de reclamações no caso do ressarcimento do roubo das jóias naCaixa

Objetivo é atender quem teve joias levadas durante o mega-assalto à agência, em dezembro

Banco poderá ser multado em até R$ 7,5 mi se não der resposta a consumidor (Foto: Luigi Bongiovanni/AT)

 

Começa nesta segunda-feira (28) o mutirão de registro de reclamações do Procon-Santos destinado a quem teve joias levadas durante o mega-assalto à agência da Caixa Econômica Federal em Santos, em dezembro de 2017. O objetivo é pedir o ressarcimento para os clientes. A expectativa é de que as pendências estejam resolvidas até o final de março.

 

 

Essa será a chance de tentar uma indenização maior do que consta no contrato do banco. Caso a Caixa não dê uma resposta ao consumidor, poderá ser multada em até R$ 7,5 milhões, afirma o coordenador do Procon, Rafael Quaresma.

 

 

O órgão decidiu realizar a mobilização após a Caixa encerrar as negociações amigáveis para resolver os prejuízos dos consumidores com o furto das joias que estavam sob guarda do banco por meio dos contratos de penhor.

 

 

“Toda essa discussão ocorre pela forma de avaliação do banco, que coloca em contrato que a indenização equivale a uma vez e meia à avaliação do bem e ainda abate o valor da dívida. Mas, para o consumidor, esse valor não equivale ao prejuízo que sofreu”.

 

Mais de 300 pessoas já procuraram o Procon de
Santos (Foto: Fernanda Luz/AT)

 

Detalhes

 

 

Mais de 300 pessoas que já foram em busca de informações no Procon-Santos desde o início do ano devem, agora, formalizar a reclamação.

 

 

“Nós orientamos, naquele momento, esses consumidores. Porque havia conversações com a Caixa para fechar acordo amigável. Não registramos queixas, mas isso será feito agora, porque a Caixa encerrou as negociações. Elas precisam participar do mutirão”.

 

 

A partir dos registros, a Caixa terá dez dias úteis para responder ao consumidor. Será utilizado um sistema on-line no atendimento e o banco acabará informado automaticamente sobre as queixas.

 

 

“O consumidor sentou lá, já haverá um padrão de reclamação, que será alimentado com os dados pessoais dele, e Caixa começará a receber on-line essas reclamações, que também servirão para alimentar nosso banco de dados e o ranking de informações”.

 

 

As queixas podem servir de base para uma ação futura do Ministério Público Federal (MPF). A Caixa informa que já realiza atendimento diferenciado a esses clientes e já iniciou o pagamento das indenizações conforme o previsto em contrato.

 

 

 

 

Os interessados devem levar documento pessoal, comprovante de residência e o contrato de penhor com o banco. O mutirão será em três datas: nesta segunda, quarta-feira e em 26 de fevereiro, sempre das 9 às 17h, no auditório da Secretaria de Educação (Praça dos Andradas, 25/34, Centro).

 

 DÚVIDAS SOBRE DIREITO DO CONSUMIDOR ENTRE EM CONTATO